quinta-feira, abril 10, 2003

Um olhar sobre a educação
Afastado das questões académicas desde os meus 8 anos, resolvi ingressar novamente no ensino. Acabei por descobrir que as cadeiras que tinha feito na quarta classe me davam equivalência quase completa ao actual 12º ano, depois das reformas.
Só tenho de fazer educação sexual para me poder candidatar à faculdade e nem com experiência mais do que comprovada no campo os consegui convencer que não precisava de fazer exame. Exame?!?!?! Então os gajos transformaram a educação sexual numa actividade sujeita a programa e avaliação! Foda-se, não há direito! Nas aulas, os putos lá da sala andam assustados com tanto látex, tantas doenças, tanto cancro da próstata (que o diga o Waldorf!) e tantas tendências latentes que eles nem sabiam que tinham. (Mais uma vez... o lobby gay a tentar formar militantes para as suas fileiras).
No outro dia, depois das aulas, encontrei o Zézinho (o tal que se safou de ser abortado), a coçar os tomates, que lhe ardiam por causa da cuequinha de renda que tinha vestida. Estava cheio de duvidas existenciais e a perguntar-se se também ele não gostaria de cagar para dentro. Pensei para mim: "E foi para isto que ele foi salvo?" Compreensivo como sou juntei os outros gajos da turma e começamos a arrear-lhe forte e feio, com a bênção das freiras lá do colégio, mas isso não o quebrou... entramos logo em depressão... não há maneira de fazer aquele gajo infeliz... é paneleiro, gosta de levar porrada, delira quanto o insultamos, lambe-se todo se lhe cuspimos em cima! Agora mudamos de atitude e até já o tratamos bem... com tantas qualidade ainda chega a ministro um dia destes! Mas não vou divagar mais, tenho de fazer o copianço... ora deixa ver... sexo oral... foda-se isto é o quê? Quando um gajo se gaba aos amigos de ter dado uma queca?

Nenhum comentário: