segunda-feira, junho 16, 2003

Os Santos Populares
É tão bonito ver os habitantes da capital do império vestidos à lavradores, mão na anca, socas de madeira e avental de varinas, enquanto se bamboleiam pelas ruas da cidade a denunciar o passado tacanho, provincial e profundamente labrego que lhes corre nos genes. Se não se usassem eufemismos, se se chamassem os bois pelos nomes, o desfilezeco do dia 12 não se chamaria "marchas de santo antónio", mas antes "gay parade rural" e podem ter a certeza que a adesão subia umas 10 vezes com tudo o que é estrangeiro a dizer coisas do género: "Vira para cá o terreiro do paço para ver se te escoro o túnel".
Para dar um toque extra, vendem-se os manjericos... outro nome mal escolhido... manjerico? e que tal "afaga-a-carapinha"? Não sei quem é que quer ter uma planta com um corte afro lá em casa, mas só o susto que deve ser durante a noite, ao ver uma carapinha em contra luz no meio da sala... é coisa de arrepiar!
Os próprios jornais incentivam a onda de paneleirice, com concursos de quadras que depois publicam, para orgulho dos rotos que as escreveram. Por forma a repor a justiça mais elementar vimos agora abrir o nosso espaço dos comentários para as quadras dos nossos leitores... mas não sejam rotos e lembrem-se: "feminista" rima com "tens é falta de peso".

Nenhum comentário: