sexta-feira, setembro 05, 2003

Acto de contrição
Á laia de vergastada nas costas, um amigo manifestou-me a sua concordância com um post do Mortadello sobre a esquerda e os emigrantes.
Sabendo ele que sou o elo mais fraco desta equipa de ideologia pró(ro)to-capitalista, considerei este comentário um ataque directo e frontal à minha galinácea pessoa, que chegou mesmo ao ponto de questionar o meu papel neste espaço de emporcalhamento diário (ou quase) da actualidade nacional.
Tolerante como sou, desanquei-o até me esquecer e num acto de rebeldia tomei a decisão de também eu me tentar curar do mal de vistas que se apodera de todos os seguidores do líder do mundo livre.
Tal como o mortadello se aventurou nos caminhos da esquerda, se bem que tenha sido para lhes fazer uns buracos e os deixar intransitáveis por mais algum tempo, também eu sinto que preciso de ir alinhar a direcção aos meus posts e extrair-lhes alguma da demagogia de pacotilha e insulto fácil que neles impera.
Contudo aviso que este meu comportamento tolerante e imparcial irá manter-se apenas enquanto o F.C.P. continuar a dar abadas aos adversários ou até me fartar de brincar aos judeus e palestinianos com uma menina do BE que exige que eu diga estas coisas para pôr aquele cachecol típico e pedir-me de joelhos que lhe ocupe o território.
Finda qualquer destas condições irei negar alguma vez ter dito tamanhas barbaridades.

Nenhum comentário: