segunda-feira, setembro 15, 2003

O fim da literatura
Depois de livros como: "O caralho do jeremias", "O meu cavalo eras tú", "Faça amigos, seja famoso e emagreça numa semana", "Seja como a Bobone e pareça uma puta mesmo depois dos 40", vem:
"o maior lançamento da história da indústria editorial. As Rosas Inglesas, o primeiro de cinco livros infantos escritos por Madonna, é hoje publicado em 100 países e 42 línguas." in Público
A estratégia é simples, sabendo que a queima pública de livros é uma prática vista com algum pudor pela faixa mais à esquerda da sociedade, os mentores de uma nova involução cultural que começou na televisão engendraram um plano brilhante. Com a publicação sucessiva de livros escritos por mentecaptos, ocupam todo o espaço de prateleira destinado à verdadeira literatura, fazendo não só com que as editoras deixem de apostar neste segmento mas também que as gerações futuras tenham como referência não classicos como o Moby Dick, mas best-sellers como o Dick do Moby!

Nenhum comentário: