quinta-feira, outubro 16, 2003

The sign of Time(s)
Bragança está no mapa. Os velhos dos restelo queixam-se, mas sem razão.
Finalmente poderemos acabar com a desertificação do interior. O Porter estava completamente errado ao afirmar que o desenvolvimento do interior passaria pela viti-vinicultura. Esse foi chão que já deu uvas lá no século XIX.
Há que aproveitar as relações previligiadas que temos com os Palop's para importar putedo, apoiando-nos na sinergia de termos uma mulher como Ministra dos Negócios Estrangeiros, que melhor que ninguém, porque mulher e política, sabe o que é essa coisa da profissão mais antiga do mundo.
Assim podiamos ter a rota do vinho e do bujão de Bragança, a rota dos enchidos e da espanholada da Guarda e, porque não, a rota dos queijos e do broche à angolana de Castelo Branco?

Nenhum comentário: